Compreendendo o conceito de beldade

A lindeza é um conceito complexo que tem inúmeros estilos diferentes. Tem um estilo intáctil e um aspecto propósito. A formosura subjetiva é acordada pela reação emocional de um observador. Consequentemente, diz -se que a beldade está “nos olhos de quem vê”. Um senso de amo assim como está associado à competência de precisar o que é atraente. Em geral, contudo, os especialistas tendem a concordar com o sentido da graça.

Relato de Platão sobre o assunto beldade

A primeira coisa a entender a respeito do relato de beldade de Platão é que não há explicação universal de lindeza, e cada pessoa é qualificado de testar a beldade em graus variados. Platão chama este fenômeno de anamnese. Ainda que isso possa parecer um paradoxo, é realmente bastante plausível e até benéfico. Realmente, podes ajudar as pessoas a compreender e apreciar melhor a lindeza.

Apesar de teu emprego ambíguo, “formoso” tem todas as características das maneiras de Platão. Como a beldade é um conceito avaliativo, geralmente está sujeito a guerras a respeito teu significado. A hipótese dos formulários visa assegurar que esses termos tenham referentes estáveis.

Apesar de o relato de graça de Platão seja incompleto, é proveitoso para conduzir pesquisas futuras a respeito da lindeza. Filósofos gregos antigos, como Aristóteles, procuraram investigar o motivo da formosura. O defeito era que eles não conseguiram resolver a tensão entre a boniteza como um fenômeno espiritual e como fenômeno objeto.

Relato de graça de Schopenhauer

O relato de beldade de Schopenhauer é uma das obras mais influentes da filosofia moderna. O filósofo austríaco começou seu trabalho com a filosofia da ciência e da metafísica e depois passou para a filosofia da religião, matemática, arte e ética. Ele comparou o processo de construir sua filosofia à de abrir uma flor.

No relato de beldade de Schopenhauer, os materiais têm um papel vital na experiência estética. Ele acredita que a experiência estética pode nos conduzir a um estado de falta de desejo, que precisamos resistir. Por outro lado, o sublime é caracterizado pelo alegria de uma experiência que é totalmente agradável.

Segundo Schopenhauer, o valor da experiência estética é uma perda de desejo própria. Ele argumenta que todo o disposto nasce por deficiência ou sofrimento. Como efeito, a experiência da estética implica ascetismo. Knox descreve essa negação de amor próprio e aversão ao núcleo interno do mundo.

Relato de beldade de Santayana

O relato de beleza de Santayana discute as condições e experiências que produzem beldade. Ele assim como discute como o valor estético é expresso por meio da forma e expressão. Em tal grau as maneiras quanto as expressões são necessárias para a experiência da beleza. Apesar de tudo, a experiência de boniteza de uma pessoa deve se basear em teu respectivo senso de estética, e a estética é uma forma de frase.

Segundo Santayana, a graça é uma combinação dos sentidos e do propósito de um humano. Contudo a beleza não se origina dos objetos que dão prazer; Surge da experiência do entusiasmo que se entrelaça com as qualidades de um instrumento. É a combinação perfeita de modo e tema que torna um instrumento lindo. Em outras palavras, os prazeres estéticos são um objeto de hábitos e lembranças mentais.

O relato de formosura de Santayana é um dos relatos mais essenciais e influentes da estética no mundo ocidental. Rejeita a idéia de que a graça pode existir independentemente da compreensão humana, e, deste jeito, é irreal para a beleza ser independente de nossos próprios julgamentos e sentimentos. Ele ainda rejeita a informação do papel de Deus na estética.